Inflação em Moçambique regista 5,6% em agosto, a taxa mais alta desde dezembro de 2017

A consultora NKC African Economics salientou hoje que a inflação em Moçambique subiu em agosto para o nível mais elevado desde dezembro de 2017, mês em que os preços subiram 5,6% face ao período homólogo de 2020.

 
Supermercado
Imagem Ilustrativa


“A taxa de inflação subiu em agosto, atingindo o nível mais elevado desde dezembro de 2017, lê-se num comentário aos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) de Moçambique, que dão conta de uma subida homóloga de 5,6% e de um ligeiro acréscimo de 0,2% face ao mês de julho.

 
 

De acordo com a nota dos analistas desta filial sul-africana da britânica Oxford Economics, “a inflação subiu, em média, 5,3% de janeiro até agosto, um aumento face aos 3,1% registados no mesmo período de 2020”.

A consultora antecipa que a fraca procura interna vá conter as pressões sobre a inflação e aponta que as principais razões para o aumento dos preços são a subida dos preços do petróleo e as perturbações nas cadeias de distribuição.

 
 

“Para além disso, estimamos que o preço médio do petróleo vá subir significativamente este ano e deverá continuar a sustentar a inflação nos transportes a curto prazo”, escrevem, acrescentando que as “as cadeias de abastecimento também sofrem perturbações devido à covid-19, à guerra civil em Cabo Delgado e ao aumento dos custos do transporte marítimo”.

O INE anunciou, a 11 de setembro, que Moçambique voltou a registar aumento de preços em agosto face a julho, após quatro meses consecutivos de deflação.

 

Agosto terminou com uma inflação mensal de 0,19%, lê-se no boletim do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) divulgado então, segundo o qual a inflação homóloga foi de 5,61% (acima dos 5,48% de julho).

in: Lusa

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...