Lobo Ibérico abatido no Gerês

Um lobo foi morto, no Parque Nacional da Peneda-Gerês, o que está a causar uma onda de indignação entre ambientalistas e frequentadores da região serrana, pois segundo tudo o indica, tratar-se-á de uma armadilha e não de situação de eventual legítima defesa, ou precipitação de um caçador furtivo, naquela zona de acesso proibido da Serra do Gerês.

 
Aviso

Um garrano envenenado foi o isco para matar o lobo, na Serra do Gerês, encontrado domingo, a caminho das antigas Minas dos Carris, no Parque Nacional da Peneda-Gerês. Foram usados engenhos armadilhados e que poderiam igualmente ser fatais para os seres humanos.

 
 
Lobo
DR

A situação está a ser investigada já por vigilantes do Instituto da Conservação Natureza e das Florestas (ICNC) do Ministério do Ambiente e Ação Climática e militares do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana, que estarão na posse dos registos de metadados que poderão identificar todos os responsáveis.

Lobo abatido
DR/SinalTV

Os Dois Lobos Ibéricos foram encontrados mortos, na Freguesia de Cabril, Parque Natural da Peneda Geres, em Montalegre e outro na zona de Rio de Onor, Bragança.
Segundo o ICNF após o alerta foi de imediato ativado o protocolo estabelecido no âmbito do Sistema de Monitorização de Lobos Mortos.

 
 
Laço
DR


As equipas da GNR/SEPNA e os Vigilantes da Natureza presentes no terreno, em estreita colaboração e no âmbito das suas competências, desencadearam uma série de procedimentos de investigação, bem como a recolha dos cadáveres que foram entregues ao INIAV, I.P. para necropsia.

O achado macabro ocorreu este domingo, junto à chamada Casa do Padre, em Couço, nos acessos às antigas Minas dos Carris, admitindo-se que possa haver mais casos idênticos, o que é difícil de confirmar, devido às regras de confinamento, que não permitem as idas àquela zona do único parque nacional português, que faz fronteira com a Galiza, Espanha.

 
casa

No local, perto da Lagoa do Marinho, nos últimos meses, têm sido colocados bocados de carne envenenada, ao longo da região mais alta da Serra do Gerês, que tendo alegadamente como destinatários os lobos, acabam por vitimar mortalmente os também cavalos de raça garrana que andam igualmente por ali em busca de alimentação.

garrano
DR/Sinal Tv

Depois de alguma acalmia, no abate de lobos, há dois fatores que segundo habitantes das aldeias abaixo do local da ocorrência, poderão explicar o ressurgimento desta prática, que são em Portugal o apertar das regras de indemnização para ataques dos lobos a rebanhos, pois muitas vezes são cães famintos e não aquela espécie protegida a abaterem o gado, bem como na vizinha Espanha a recente proibição de caçar lobos, uma medida que está envolta em muita polémica, em especial o lóbi da caça, que também é muito forte no país vizinho.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...