Museus de Famalicão ganham nova identidade

A Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão despertou para o Dia Internacional dos Museus com uma nova identidade. A Câmara Municipal aproveitou a efeméride, que se assinala esta terça-feira, 18 de maio, para apresentar ao mundo a nova identidade gráfica dos Museus de Famalicão, pensada para valorizar o trabalho de parceria entre os vários museus do concelho, mas também a força e a singularidade de cada uma das suas doze unidades.

 

Com um conceito planeado e desenvolvido pelo Gabinete de Comunicação e Imagem do Município de Vila Nova de Famalicão, o novo grafismo sintetiza o trabalho da Rede no conceito Museus de Famalicão, representando “um novo capítulo da sua história, fiel à sua identidade, mas mais contemporâneo e com maior potencial de apropriação emocional”.

 
 

O novo logótipo da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão divide-se em duas partes: o ilustrativo e o designativo. O ilustrativo desenha linhas que se cruzam entre si formando duas iniciais – o “m” de museus e o “f” de Famalicão – que definem a homogeneização, a interligação e a comunicação em rede entre os diversos museus de Famalicão. No designativo, na palavra Famalicão, utiliza-se uma fonte serifada, com pequenas astes, que de forma subjetiva representa a tradição, a cultura, o respeito, a grandeza e a sofisticação da instituição.

Sobre as cores usadas, o dourado representa a tradição, sabedoria e riqueza do património. Já o cinzento que escreve a palavra Famalicão representa a evolução e a modernidade de uma cidade que está sempre à frente do próprio tempo.

 
 

Recorde-se que a Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão é constituída por 10 museus e 2 coleções visitáveis – Casa de Camilo: Museu. Centro de Estudos; Casa-Museu Soledade Malvar; Museu Bernardino Machado; Museu Cívico e Religioso de Mouquim; Museu da Confraria de Nossa Senhora do Carmo de Lemenhe; Museu da Guerra Colonial; Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave; Museu de Arte Sacra da Capela da Lapa; Museu de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves; Museu do Automóvel; Museu da Fundação Cupertino de Miranda – Centro Português do Surrealismo; Museu Nacional Ferroviário – Núcleo de Lousado.

Desde a sua fundação procura a valorização dos museus que integram a rede, através de uma política de cooperação e articulação entre si, com vista à promoção, valorização e difusão das suas coleções museológicas, bem como de ações de capacitação das equipas que os constituem.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...