O investigador Izzat Ramadan, da Universidade do Minho é o melhor doutor em Economia do país

O investigador Izzat Ramadan, da Universidade do Minho, é um dos dois vencedores do Prémio António Simões Lopes 2020, atribuído pela Ordem dos Economistas e pela PwC ao autor da melhor tese doutoral em Economia apresentada em Portugal no último ano. A distinção foi entregue durante o 9º Congresso Nacional dos Economistas, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Os 7500 euros do prémio foram divididos com uma estudante da Universidade da Beira Interior.

 
izzat

“Estou muito orgulhoso e feliz por reconhecerem as minhas ideias sobre o efeito da cultura no comportamento financeiro, como a influência dos pais neste âmbito, algo que quero estudar com mais detalhe em várias partes do mundo”, frisa Izzat Ramadan. O autor concorreu com a tese “Three essays on financial literacy and financial behavior”, defendida no seu doutoramento em Ciências da Administração, realizado na Escola de Economia e Gestão da UMinho, sob orientação dos docentes Manuel Rocha Armada e Cristiana Leal.

 
 

A sua tese apresenta três ensaios sobre literacia e comportamento financeiro. Há efeitos positivos quando estes dois se juntam, revela o primeiro ensaio, cruzando várias bases de dados microeconómicos. Ainda assim, verifica-se que os laços familiares fortes podem prejudicar na poupança, no investimento em produtos financeiros complexos, na riqueza e na acumulação de dívida.

O segundo ensaio explora fatores psicológicos e culturais pela primeira vez nesta área, num inquérito em nove países. As conclusões sugerem a criação de políticas públicas e planos de educação financeira para diferentes grupos, tendo em conta o género, o país, a religião, a estrutura familiar e o perfil psicológico do cidadão, para melhorar a sua performance. O terceiro ensaio vai no mesmo sentido. Um inquérito em regiões árabes, germânicas e latino-europeias, recorrendo a algoritmos de machine learning, mostra que a literacia financeira é a principal determinante do comportamento financeiro da pessoa, embora este também dependa da socialização financeira com os pais, da impaciência, da confiança e da aversão ao risco, entre outros aspetos.

 
 

Nota biográfica

Izzat Ramadan nasceu há 41 anos em Beirute (Líbano) e vive em Braga. É licenciado e mestre em Gestão de Empresas pela Universidade Haigazian (Líbano), doutorado em Ciências da Administração pela UMinho e com uma especialização em Finanças Islâmicas pela Universidade de Durham (Reino Unido). Professor de Finanças na Universidade Internacional Libanesa e na Universidade de Ciências e Artes do Líbano, tem pesquisado no Núcleo de Investigação em Políticas Económicas e Empresariais (NIPE) da UMinho e no Instituto de Soldadura e Qualidade. É também autor do vlogue de literacia financeira “Tune To Finance“, além de compositor e músico de estilos como jazz, rock e clássico.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...