Os “Socretinos”, sem Sócrates…

Hoje, à hora em que escrevo, ainda não se sabe se José Sócrates vai a julgamento pelos factos de que é acusado. Os comentadores de televisão falam da decisão como se fosse um jogo de futebol. De manhã ouvia o pivot de um dos canais afirmar que “ou vai a julgamento por todos os crimes, ou por parte deles ou poderá ver o caso arquivado. Ainda há muita indecisão neste momento”, naquele que é mais um momento futeboleiro da justiça que me deixa estupefacto.

 

Independentemente de Sócrates ser pronunciado ou não, a questão é que o povo português gosta dos Sócrates desta vida. E a verdade é que apesar do conhecimento que vai tendo de uma grande parte das situações que envolve os políticos, estes acabam por ganhar em eleições novamente.

 
 
josé sócrates @ Global imagens

Efetivamente, no Governo, nos municípios, nas autarquias, verificamos sempre uma série de negócios e “negocinhos” com contornos estranhos. Verificamos que as contratações de trabalhadores ou de prestadores de serviços para os municípios, para o Estado central, da mais alta patente até ao mais pequeno trabalhador é feita com base no “cunhismo” e no cartão partidário dos que governam. Servem ainda esses lugares para pagar favores. Gastam-se rios de dinheiro em instituições sem necessidade de existir (falo na maioria das empresas municipais) para que arranjem lugares para distribuir pelos da cor.

Gastam-se rios de dinheiro dos impostos dos portugueses malgastos todos os dias, mas os portugueses continuam iguais a si próprios… Um bom falante, meia dúzia de obras e lá continuam os mesmos de sempre, a fazer o mesmo de sempre, sempre com base na cartilha da esquerda e do ataque aos trabalhadores e aos mais pobres.

 
 

Se há alguém que fez mal aos portugueses, aos mais desfavorecidos, aos trabalhadores, à economia, foram os Governos de José Sócrates… Obras faraónicas… Concursos daqueles… Computadores Magalhães que não servem para nada distribuídos a rodos, etc, etc… No final, uma chamada da Troika, com empréstimos de dinheiro a Portugal para se poder pagar pensões e salários, devolvidos com sacrifícios enormes dos portugueses, para cumprimento das metas negociadas por Sócrates.
Mas a quem a maioria dos Portugueses atribui a culpa? A Passos Coelho e a Portas…

E quem voltou ao poder passados quatros anos? Os “Socretinos”, sem Sócrates…

 

O filme é o mesmo, com duas diferenças…

Existe uma pandemia que permite que o Governo distraia os portugueses…
Existem danos irrecuperáveis, como a morte de milhares de portugueses…

 

Os portugueses, esses, continuam sem apoios, num dos momentos mais difíceis das suas vidas, enquanto Costa fala de uma inconstitucionalidade que ajudaria milhares de portugueses por 40 milhões de euros ao mesmo tempo que suporta mais um empréstimo ao Novo Banco.

Mas voltando a Sócrates, será que o povo português condenou mesmo as políticas de Sócrates? Ou dos que mantêm os portugueses a viver sempre cheios de dificuldades para dependerem do estado?
Obviamente que não. É só ouvir a maioria dos portugueses.

É só olhar
E os empreendedores? Os empresários? os que criam riqueza? Ou são mesmo daqueles que não precisam nem necessitam de decisões políticas para nada ou então a maioria fala sempre em surdina, criticando baixinho para não serem prejudicados ou perseguidos pelos fiscais…

Que os digam os pequenos empresários. Ou alinham ou são perseguidos, completamente ostracizados pelo estado.
Quanto à Justiça, em Portugal, essa corre pelas ruas da amargura.

 

É verificar como vai funcionando. E como de certeza vai acontecer com este processo Operação Marquês e outros do tipo.
Será que temos solução? Não creio…

Mas daqui a pouco saberemos…

Comentários

comentários

Você pode gostar...