Portugal passa por um momento em que os três F´s representam: Futebol, Facebook e futilidade

Muitas vezes ao longo destes meus 48 anos, ouvi que Portugal era Fátima, futebol e fado.

 

E este mito dos três F´s foi muito relembrado por mim esta semana.

 
 

Em primeiro lugar porque Fátima é um local de culto, sagrado para os católicos, tal qual são a maioria dos portugueses, onde me incluo. No dia 13 de Maio mais uma vez os católicos e a igreja deram uma lição de civismo e de cumprimento das regras no Santuário.

Fátima, a igreja católica e os princípios e valores que defendem e difundem, deveria estar cada vez mais presente nas nossas escolas e na educação dos portugueses. Mas não… Cada vez mais vemos a erradicação dos símbolos da igreja das nossas escolas, por perseguição dos partidos de extrema esquerda e esquerda dita moderada, que a coberto da laicidade do estado, cada vez mais incute conceitos de libertinagem nas gerações mais novas e que levam ao descarrilar das sociedades.

 
 

Sim, hoje em dia temos mais futebol do que Fátima nas nossas vidas. O português pensa mais como futebol negócio, do que futebol desporto. Com emoção bruta… com impulso… onde o respeito pelo outro não tem lugar no imediato, onde só a vitória interessa e a derrota não tem imagem. Estamos em pandemia? Que interessa isso. Temos é que fazer a festa e juntar tudo ao molho, que os hospitais até já estão sossegadinhos.

Foto de JOSE FERNANDES | Tribuna Expresso

Um pouco à imagem das redes sociais onde quase todos estão sempre em festa, são felizes e têm boas vidas e onde os lamentos dão direito a palavras de força e de um “tu vais conseguir”. Um local onde a coisa mais fácil é criticar o outro e dar sentenças sobre a vida de alguém que nunca conhecemos, apenas porque tomamos conhecimento de uma fotografia ou de um vídeo e onde apesar de não se conhecer os antecedentes, nem as condições de vida, já estamos a enforcar.

 

Relativamente aos três F´s que acima falei, efetivamente o Fado fazia parte da vida dos portugueses e os imensos fadistas e músicos que os acompanhavam, cantavam sobre a vida dos portugueses, com uma qualidade forma de transmitir mensagens que efetivamente nos faz muita falta nos dias de hoje.

Mas então, o que resta dos 3 F´s para a maioria dos portugueses?

 

O futebol, esse sempre, e o F de fado agora é F de Facebook e onde o gigante F de Fátima deu lugar ao F de futilidade.

Sim, Portugal passa por um momento em que os três F´s representam: Futebol, Facebook e futilidade…

E como precisávamos de regressar ao tempo em que Fátima e o Fado faziam escola.

O tempo em que o Estado tinha os feriados religiosos pelo seu simbolismo e não pelo facto de ser um intervalo na jornada de trabalho. O tempo em que o estado e as forças políticas menos conservadoras não tinham que forçar a laicização do Estado, mas ao mesmo tempo manter alguns feriados religiosos que não celebram, mas que sempre dá jeito manter, porque alguns dos seus acólitos terão menos um dia para trabalhar.

 

Sim, começamos a caminhar para uma sociedade cada vez mais preocupada com o ter e o mostrar, do que com o “ser”…

Que sociedade seremos daqui a 30 anos?

Muito diferente e seguramente diferente para pior…

Porque quando vês que os medíocres e “jogadores” de bastidores é que têm o dom da ascensão social e os que investem na sua formação e na honestidade são atacados e vilipendiados por falsidades e criações, tendo que se afastar para não sofrer consequências piores, estamos elucidados.

É a imagem de Portugal lá fora, mas ao que parece poucos se importam…

Comentários

comentários

Você pode gostar...