UMinho assinala Semana da Ciência e da Tecnologia

Vários centros de investigação da Universidade do Minho, em Braga, estão com os seus laboratórios abertos, em especial o público escolar, e a promover tertúlias pela cidade, no âmbito da Semana da Ciência e da Tecnologia, que decorre até sábado em todo o país. O objetivo é aproximar a sociedade da ciência feita em Portugal, mostrar o quotidiano dos investigadores e estimular o interesse e o prosseguimento de estudos em áreas científico-tecnológicas.

 
ciencia

No campus de Gualtar, o Centro de Engenharia Biológica (CEB) recebe ao longo da semana cerca de 130 alunos de escolas básicas e secundárias da região, nomeadamente esta quarta-feira de manhã e sexta-feira à tarde. Para quinta-feira, às 9h30 e às 13h30, já na Escola de Engenharia (edifício 16), é a vez de os mais pequenos observarem micróbios ao microscópio e como estes vivem e se alimentam. Para quinta-feira há workshops online que levam os estudantes do 3º ciclo e do secundário a conhecer a microalga Chlorella, um superalimento com mais de vinte vitaminas e minerais, e a aprenderem a montar uma célula de combustível microbiana.

 
 

Os cientistas do CEB têm também partilhado estes dias as suas experiências em várias escolas do distrito. Para sábado de manhã, desafia-se ainda os cidadãos em geral a irem ao CEB ver as descobertas nas áreas alimentar, ambiental, industrial e da saúde; podem também fazer uma visita virtual, em ceb.uminho.pt/About/VirtualTour. O programa não esquece os próprios estudantes de biotecnologia e bioengenharia da UMinho – estão a decorrer quatro dezenas de workshops laboratoriais e uma formação de comunicação de ciência, com soft skills que podem ajudar no seu futuro profissional.

Nuno Crato fala sobre relógios de sol

 
 

Já a Escola de Ciências da UMinho e o vizinho Planetário – Casa da Ciência de Braga concentram esta quarta-feira nos seus espaços uma centena de estudantes do básico e secundário em oficinas pedagógicas e palestras, sob o tema “Sol/Tempo”. O objetivo é os mais jovens refletirem, por exemplo, sobre o tempo geológico e a importância da luz na vida das plantas, perceberem como medir a temperatura de uma estrela ou até conhecerem os astros numa sessão imersiva digital. Os participantes vão ser ainda desafiados para um concurso de relógios de sol. Na sexta-feira, às 21h00, na Basílica dos Congregados, no centro da cidade, está agendada uma tertúlia sobre geometria e a astronomia dos relógios de sol, com Nuno Crato, professor da Universidade de Lisboa e ex-ministro da Educação, e o jornalista e investigador Fernando Correia de Oliveira.

Por seu turno, o Centro de Investigação em Educação (CIEd) apresenta esta quarta-feira, às 17h00, os resultados de dois projetos em curso. A doutoranda Gabryella Silva vai explicar se os professores portugueses estão ou não velhos demais para o digital, enquanto as professoras Ana Paula Loução Martins e Anabela Cruz dos Santos desvendam a plataforma digital AuTrain, que visa a inclusão de pessoas com espectro do autismo. Pode assistir-se em videoconf-colibri.zoom.us/j/88449995850. Já o Centro de Investigação em Justiça e Governação (JusGov) apresentou online os projetos Smart Cities e eUjust, com os investigadores Maria Miguel Carvalho, Isabel Fonseca, Joel Alves, Joana Covelo de Abreu e Anabela Gonçalves.

 

Comentários

comentários

Você pode gostar...